sábado, 17 de janeiro de 2009



Pensando na vida...


Vivendo, aos poucos vamos descobrindo que tudo
a que resistimos acaba retornando, persistindo...
e que para ter paz é preciso antes de tudo saber
cultivar a paciência com sabedoria e livre escolha.


Ainda que as duras penas, vamos aceitar também
que a felicidade será alcançada não pelo que nos
chega na bandeja e sim naquilo que construímos
com outras pessoas, no ato de estender as mãos.


Ao analisarmos o propósito da nossa existência não
será difícil perceber que não somos metades, somos
inteiros, não precisamos de complementos, e que...
pensar assim é deixar brotar sentimentos de posse.

Se conseguirmos ir além da visão da matéria, o que
não é tão fácil assim, iremos concluir que nada mais
somos do que espíritos em fase de evolução, numa
surpreendente e fantástica experiência humana.


Para tanto, é preciso acreditar que a temida morte...
não existe e aquilo que pensamos ser o fim, nada
mais é do que uma passagem, uma viagem de volta
a nossa morada móvel principal.


Viagem esta que pode ser interpretada como de volta
ao passado, mas que nos remete direto para o futuro
vez em que, foi cumprida a nossa “evolução–missão”.

Ricardo G Denunes ® 1501A2
© proteja os direitos autorais


Nenhum comentário: